quinta-feira, 23 de outubro de 2014

Liderança e procrastinação: Todos querem a melhoria, mas ninguém quer o esforço

Amo ler o Efetividade, pois me ensina a ser proativo, produtivo e efetivo sempre. Assim aprendi que traçar metas é fácil, querer também, mas dar o primeiro passo, não. E as vezes para atingir metas é preciso mudanças, mas o ser humano na maioria esmagadora das vezes, não está apto para tal modificação e acaba optando pela procrastinação. 

Procrastinação é o ato ou hábito de deixar as tarefas para depois, e um dos elementos-chave para isso não acontecer, importantíssimo (porém difícil), é dar o primeiro passo. Depois que uma tarefa já está em andamento, fica bem mais fácil dar continuidade a ela.




Líderes não são pessoas que têm essa palavra no currículo, mas sim são pessoas determinadas a assumir a responsabilidade pelo que acreditam que precisa ser feito para chegar ao resultado que procuram. Entre suas características está a resiliência, competência de quem está mais apto a superar obstáculos e mudanças no seu caminho sem sofrer danos.
É possível colocar-se no papel de líder até mesmo no que diz respeito a objetivos eminentemente pessoais (como perder peso, entrar na faculdade ou obter uma promoção), assumindo a responsabilidade pelo esforço necessário para alcançá-los, e é sobre isso que falaremos a seguir.

Qualquer estudante de Administração passa anos vendo, em diversas cadeiras, como é difícil lidar com a resistência a mudanças, natural nos seres humanos e esperada até mesmo quando a mudança é para melhor. O rock brasileiro sintetizou isso em um verso de música da banda Blitz, já em 1984: "todo mundo quer ir pro céu, mas ninguém quer morrer".

Em um mundo cada vez mais imediatista e exposto, é cada vez mais visível que as pessoas sabem que para ter o peso que desejam precisam comer menos e fazer mais exercícios; que para se capacitar precisam estudar mais profundamente um número maior de assuntos; que para poder adquirir o produto dos seus sonhos precisam renunciar a várias outras despesas por um bom tempo – mas, mesmo querendo a melhoria e sabendo o caminho, elas não fazem o que precisa ser feito.

Todo mundo quer o resultado, mas ninguém quer fazer o esforço

Coletivamente isso funciona de modo parecido: todo mundo quer melhor tratamento de esgoto, centros de reciclagem de lixo, prisões mais humanas e reformadoras, e acolhida para os desabrigados – mas comunidade nenhuma quer ser o abrigo das usinas, aterros, presídios e abrigos que são a solução natural para essas questões.
São 2 faces de um mesmo fenômeno: querer aprender um idioma mas rejeitar estudá-lo, querer tratamento de esgoto mas fazer passeata contra a instalação da usina no seu bairro. Ambos se resumem em "quero a solução, mas vou deixar a mudança necessária para depois" – ou seja, procrastinação.

No aspecto coletivo talvez não haja solução ao seu alcance, mas pense em quantas pendências você está deixando para depois, talvez sem notar: economizar para fazer a viagem que deseja, estudar o assunto que quer aprender, buscar a certificação que lhe permitirá avançar na carreira, economizar para comprar um imóvel ou um carro, entrar em forma para ter saúde (ou para o verão), etc.

Você precisa identificá-las, priorizá-las, planejar a solução e dar o primeiro passo. Depois o segundo, o terceiro e assim por diante, até que a mudança se converta na melhoria desejada.
E aí aplique este exemplo da sua vitória pessoal também às tarefas menores e à sua equipe: deixar o esforço para depois não produz a solução desejada.
Fica, portanto, a sugestão de procedimento, resumido em uma frase é:

"Para vencer a procrastinação com efetividade: 1. saiba o que quer alcançar; 2. identifique o caminho; 3. comece a trilhá-lo e não pare!"

quarta-feira, 8 de outubro de 2014

Como sobreviver ao calor :D

Se o verão não veio acompanhado de uma piscina e de um ar condicionado ligado 24 horas por dia, as 4 dicas a seguir podem ajudar a reduzir o desconforto durante o dia e também na hora de dormir no calor. São coisas que tenho vivenciado! hehe


1. Ventilador do avesso: 
se a temperatura da rua estiver mais fresca que a do seu ambiente (especialmente à noite), coloque o ventilador na janela de um jeito diferente: apontando para fora. A Física vai ajudar: jogar o ar quente do quarto para fora é mais rápido e eficaz do que jogar o ar fresco da rua para dentro. Depois de reduzir a temperatura, aponte-o como preferir.

2. Spray de jardim na geladeira:
Deixe sempre na geladeira um borrifador (tem na seção de jardinagem do seu hipermercado favorito) cheio de água pura. Quando precisar se refrescar rapidamente, borrife (sem encharcar!) um pouco da água, sempre começando pelos pés ou pelos pulsos (para aproveitar um efeito positivo da circulação sanguínea). A temperatura da água tem efeito óbvio, mas o efeito da evaporação também refresca, e é por isso que é importante não encharcar.

3. Ventilador de mesa: 

 

Existe um ventilador USB. Quando é necessário usar o computador no calor, apontar um mini-ventilador para o rosto ajuda a interromper logo o desconforto do suor. Não tenho um mas pude usufruir de um. É barato, fácil de encontrar, e basta plugar e já estará funcionando. É possível encontrar também um ventilador elétrico de mesa (tenho um em casa,  de baixo consumo (15W), que serve para a mesma aplicação, embora gere um pouco mais de vento. Mas lembre-se: o ventilador sozinho não reduz a temperatura ambiente, só tem efeito sobre a sensação térmica, já que movimenta o ar que está em contato com a sua pele.

4. Toalha molhada ajuda a dormir: 
funciona há milênios: separe duas toalhas grandes. Uma delas deve estar seca, e a outra você deve molhar e depois torcer bem (pode centrifugar na máquina de lavar, mas não a seque) para que não fique encharcada. A toalha seca é colocada na cama como se fosse uma colcha, e com a toalha úmida você se cobre. Enquanto a umidade estiver evaporando, a sua sensação térmica será melhor do que a do ambiente. Quando ela secar, é só remover, mas aí você já terá conseguido o mais difícil, que é fazer o sono surgir numa noite quente demais.


5.Piscina e Praia também ajudam no tempo livre
Relaxar com a natureza é uma "boa pedida", assim você foge do calor com um pouco de lazer! 











6.Roupa:

Além disso, lembre-se que a dica das roupas mudou faz tempo. Quem conhece já se acostumou com a ideia de que roupas de fibras naturais (algodão, etc.) são mais "frescas" que as de fibras sintéticas.
Hoje existem várias categorias de roupas esportivas feitas com fibras sintéticas inteligentes que são projetadas para afastar rapidamente da pele o suor, movendo-o para onde evaporará, com mais eficiência que as roupas de fibras naturais.

domingo, 28 de setembro de 2014

Organizando seu Facebook


O Facebook é cheio de opiniões e "gostos". Frequentemente você é obrigado a ver o que lhe interessa e o que não interessa, o agradável e o desagradável. As vezes da vontade de excluir ou desativar a contar pelo simples fato de o conteúdo (Propagandas, memes, vídeos imorais e inúteis na maioria dos casos, discussões e pessoas buscando uma pequena fama utópica) não nos interessar, acabamos vendo e lendo tudo isso no qual faz perdemos tempo.
No começo era bom, não tinha esse fluxo de coisas desnecessárias, mas hoje está totalmente banalizado e mal utilizado. Porém tenho alguns motivos para não desativar minha conta: manter contato com meus amigos e familiares e possíveis leitores do blog ou divulgar o mesmo. Então o melhor a se fazer foi reduzir as baboseiras que estavam no meu Feed e assim passar menos tempo no Facebook.

Crie listas de amigos

Dividir os usuários de seu Facebook em lista é o melhor ato, na maioria dos casos você não tem uma amizade com 60% das pessoas que adiciona, apenas conhece de vista ou falou uma vez na vida. Então classifique as pessoas, em Família, Melhores amigos, conhecidos, Faculdade ou Escola, Blog(no meu caso), e outras categorias que você desejar. Caso queira saber algo, fica mais fácil em clicar na lista de "Melhores Amigos" e ver apenas o que eles estão postando, assim você não se perde em milhões de baboseiras até chegar no que te interessa.

Deixe de seguir algumas pessoas

Deixei de seguir a maioria esmagadora do meu Facebook, tenho um leve contato com todos e mesmo que alguns eu conheça pouco não os excluí. Deixando de segui-los, minha Timeline ficou limpa, sem atualizações indesejáveis de amigos ou conhecidos/desconhecidos, quando quero saber de alguém, vou no perfil da pessoa e vejo o que me interessa. Assim não perco tempo lendo qualquer coisa que postam no Facebook.

Deixe de curtir algumas páginas

O que eu curtia ano passado talvez não curta mais hoje. Pages de lojas, produtos, bandas, e programas de TV   "descurti" a maioria. Agora só aparece a atualização do que eu gosto e do que é importante.

Saia de alguns grupos

Grupos desnecessários e não mais utilizados que eu tinha ingressado antes, saí de todos. Não faz sentido participar hoje. 

Timeline mais limpa

Apesar da poluição visual e da enorme quantidade de propagandas na timeline, agora recebo na página principal apenas notícias sobre as páginas que curto e os grupos que participo. Meu facebook virou um feed de notícias de assuntos que me interessam e limitei meu acesso a algumas vezes por dia apenas. Meu próximo passo será excluir o ícone do Facebook no meu celular e limitar meu uso na rede social apenas no computador.
Enfim, agora meu Facebook ta melhor, recebo na minha Timeline só o que interessa, não tem mais baboseiras e besteiras postadas por outros usuários.  As page que curto postam coisas necessárias no meu dia a dia e só converso com as pessoas que tenho mais afinidade. Já limitei o uso do Facebook do meu celular e utilizo apenas no PC. Assim perco menos tempo nele :)
Assim tenho conseguido me livrar do desnecessário no meu Facebook!

segunda-feira, 8 de setembro de 2014

Como diminuir o consumo das compras no supermercado!

Supermercados, shoppings e lojas de departamentos são projetados e construídos por especialistas em um conjunto de artes e ciências voltados a estimular o consumo. Espertinhos né ?

Ao compreender alguns dos truques destes profissionais, você poderá fazer suas compras com maior eficiência, passando a consumir por seu próprio impulso, e não por manipulações externas. A lista abaixo foi feita com o objetivo de dar condições ao consumidor para traçar suas estratégias de equilíbrio do orçamento doméstico, sabendo quais são as armadilhas deixadas em seu caminho por quem prefere que ele gaste tudo de uma vez.






Ao terminar de ler a lista de hoje, você saberá que deve pensar duas vezes antes de optar por usar um carrinho de compras, que em determinados momentos o supermercado fará de tudo para que você olhe ao seu redor, e que em outros ele conta com a sua tendência de não olhar em volta do produto no qual fixou sua atenção. 8 armadilhas comuns em supermercados e shoppings



  • O cliente não pode andar rápido! E jamais chegar rapidamente ao seu destino. Usualmente, você só coloca itens no seu carrinho se fizer uma breve parada, ou reduzir a velocidade. Por esta razão, a loja faz o possível para que você pare várias vezes ao longo do seu caminho, e tenha tempo de olhar as ofertas à sua volta. O supermercado já é desenhado tendo em vista este objetivo (bastam 2 clientes para criar um congestionamento em qualquer curva, e fazer todo mundo parar ou andar beeeeem devagar), e ainda há dezenas de truques catalogados, como os corredores de ovos de páscoa, atrações com forte apelo para crianças (um forte estímulo para famílias pararem), atrações para adultos, escadas rolantes internas, distribuição de amostras, cafezinho, etc. Seria fácil acabar com os congestionamentos nas escadas rolantes dos shoppings, mas a quem isso interessaria?




  • Os itens que você compra com mais freqüência estão longe: geralmente no fundo ou na lateral da loja. Já os itens com maiores margens de lucro, que você compra por impulso ou em ocasiões especiais estão logo na entrada, e você tem que passar por vários deles até chegar à padaria, aos refrigerentes ou às frutas e verduras. E depois tem que passar por eles novamente na volta. Dupla chance para o impulso de compra acontecer!



  • Os itens mais procurados estão sempre no meio do corredor: E a razão é simples: para chegar até eles, você terá que passar por um caminho maior, vendo todos os demais itens daquela seção. E a loja estará fazendo o possível para que o impulso de compra se manifeste neste caminho.



  • Os preços e quantidades são escolhidos para dificultar as comparações: ou pelo menos sem a preocupação de facilitar a comparação. Muitas vezes a comparação intuitiva (sem de fato fazer a conta completa em sua mente) leva o consumidor a não perceber qual seria de fato a opção mais vantajosa para ele.



  • Os itens mais comprados por impulso estão na fila do caixa: Todo consumidor passa longos minutos de tédio na fila para pagar, e a loja tenta garantir que ele tenha um bom suprimento de produtos pequenos e com alta margem de lucro ao seu redor: DVDs, revistas, chocolates selecionados (e sempre em embalagem individual), e até mesmo refrigerantes gelados, com forte apelo de consumo para quem passou uma hora arrastando um carrinho por uma área do tamanho de um estádio de futebol.



  • Os produtos mais caros estão na altura dos seus olhos: Procure a prateleira das pastas de dente, ou a do sabão em pó, e compare. A marca ou tamanho com maior margem de retorno para o supermercado estarão na altura dos seus olhos. As opções econômicas tendem a estar no nível do chão, e estariam no subsolo se o lojista conseguisse dar um jeito.



  • A ilusão do produto “classe A”: produtos com maior margem de lucro muitas vezes têm como seu diferencial apenas uma ideia ou conceito, no qual você é levado a acreditar apenas porque ele vem em uma embalagem diferente, ou porque é colocado em uma “área nobre”, ou – principalmente – devido aos comerciais dele na TV. Isso não significa que não existem produtos nobres, mas sempre pare para pensar se o diferencial é real ou apenas uma ilusão.



  • O tamanho do carrinho: Lojas de departamentos e supermercados procuram oferecer carrinhos de compras espaçosos, para facilitar o surgimento da sensação de que ainda há muito espaço disponível, portanto você ainda pode pegar bem mais itens. Compare os carrinhos disponíveis em hipermercados que investem pesadamente em marketing, e o do mercadinho da sua rua: é bastante provável que o do hipermercado (onde há verba disponível) seja sempre novo, de 2 andares (o dobro da área que você percebe como vazia), mais largo que o usual. Quem tem verba de marketing e pesquisa a psicologia do consumidor sabe que vale a pena investir nesta sensação.